BENEFÍCIOS DE COMEÇAR O DIA COM UMA OMELETE NO CAFÉ DA MANHÃ

Começar o seu dia com um café da manhã composto por uma omelete, combinada ou não a outros itens, traz vários benefícios que podem ser notados ao longo de todo o dia.

Muitos pacientes relatam que não sabem cozinhar ou não tem habilidade para fazer aquela omelete que fica inteira, uniforme, etc., porém isso não faz a menor diferença para o nosso corpo. Então, tanto faz se são ovos mexidos ou omelete.  E antes que alguém pergunte, comer ovos todos os dias não faz mal. Um ou outro paciente terá que respeitar um certo limite de consumo de gemas diário, mas em geral não há restrição. O que aumenta o colesterol LDL e aumenta o risco cardíaco são gorduras e pele de frango, porco, carne bovina, e principalmente gorduras trans presentes em diversos biscoitos, sorvetes, pães, bolos e outros produtos industrializados. Ao final do texto eu retomarei esse assunto.

Mas então vamos ao benefícios de um exemplo de café da manhã que prescrevo corriqueiramente a meus pacientes:

  1. Omelete:

– Fonte de proteínas: promove sensação de saciedade retardando a ocorrência da fome, além de fornecer os aminoácios necessários para formação de músculos, pele, unhas e cabelos, hormônios e enzimas.

– Fonte do aminoácido triptofano: reduz o desejo por doces e carboidratos por aumentar a produção natural de serotonina do corpo.

– Fonte do aminoácido arginina: aminoácido relacionado a formação de óxido nítrico, importante para a saúde vascular e manutenção da pressão arterial adequada, auxilia no melhor fornecimento de sangue para os músculos e contribui inclusive para uma melhor potência sexual masculina.

– Fonte de vitamina D (antioxidante, importante para a saúde do sistema nervoso e saúde óssea) e de vitamina E (combate a ação dos radicais livres, protetora da membrana celular e reduz a oxidação do colesterol LDL em LDL-oxidada que é uma forma mais danosa aos vasos sanguíneos e ao coração).

– Fonte de Fosfatidilcolina: melhora a absorção intestinal de lipídeos, melhora a fluidez da membrana celular, facilitando o transporte de nutrientes para o interior das células. É bom lembrar que para uma nutrição perfeita do corpo é necessário não só ingerir os alimentos adequados, mas também digerir corretamente (começando pela boca, passando pelo estômago e terminando no intestino), absorver do intestino para a corrente sanguínea (função intestinal tem de estar boa) e trasportar os nutrientes disponíveis na corrente sanguínea para dentro das células (é aí que entra a fosfatidilcolina, além do ômega 3, entre outros).

– Fonte de colina: a colina é substrato da formação de acetilcolina, um importante neurotransmissor , e de fosfatidilcolina. Dentre outros benefícios o consumo de colina auxilia na prevenção de doenças neurodegenerativas como o Mal de Alzheimer. Um dos metabólitos da colina, denominado betaína, é responsável pela conversão de homocisteína em metionina. Altos níveis de homocisteína aumentam o risco cardiovascular pois a homocisteína é um aminoácido danoso ao endotélio vascular (“parede dos vasos sanguíneos”).

**Se o consumo da gema de ovo promove o fornecimento de colina, que vai gerar betaína, que reduz o acúmulo de homocisteína no sangue, sendo que o excesso de homocisteína aumenta o risco cardíaco; e a gema também fornce vitamina E que reduz a oxidação do LDL-colesterol em LDL-oxidada (mais danosa ao coração e aos vasos), então quer dizer que o consumo de ovo reduz o risco cardíaco? SIM, o consumo de ovos, inclusive das gemas, se inserido em uma dieta planejada e equilibrada contribui também para REDUÇÃO DO RISCO CARDÍACO!

2. Aveia:

– Fornece carboidratos de baixo índice glicêmico

– Alto teor de fibras

– Contribui para manutenção dos níveis de colesterol e triglicerídeos adequados

– Contribui para a saciedade e reduz desejo por doces e carboidratos simples.

3. Canela:

– Alto poder antioxidante

– Melhora a sensibilidade à insulina, ou seja, uma menor quantidade de insulina liberada é suficiente para promover o transporte dos nutrientes circulantes (glicose, aminoácidos, lipídeos) para o interior das células. Obs.: É bom lembrar que altos níveis de insulina circulantes durante todo o dia, além de aumentar o risco de diabetes mellitus do tipo 2, também deixam seu metabolismo mais propenso a acumular gordura e menos propenso ao ganho de massa muscular. A insulina tem a estrutura química semelhante ao IGF-1 (fator de crescimento semelhante à insulina tipo 1, que é um derivado do hormônio do crescimento – gH), então altos níveis de insulina acabam resultando na ligação competitiva da insulina em parte dos receptores para IGF-1, reduzindo a disponibilidade dos receptores de IGF-1 para ligação do próprio IGF-1. Dessa forma, altos níveis de insulina circulantes reduzem a função do gH e do IGF-1, resultando em maior acúmulo de gordura e menor ganho de massa muscular.

Espero tê-los convencido de que os velhos pão francês com manteiga e cafezinho ou pingado não são as melhores opções para o café da manhã de quem busca saúde, qualidade de vida e alta performance! E também que ovos, inclusive as gemas podem e devem ser consumidos com frequência, sempre inseridos em uma dieta equilibrada, individualizada e se possível sob orientação de um nutricionista competente.

Um abraço a todos e boa semana!

Renato França  CRN/1 5340

Nutricionista Funcional e Esportivo

Fonte: http://www.clinicarenatofranca.com.br/

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *